Principal     Correio     English  

Artigo para o Jornal STOP

Nobel de Medicina premia ciência totalmente invertida

São Paulo 7 de novembro de 2008
Por Roberto Giraldo, M.D.


O Prêmio Nobel de Medicina 2008 foi para Harold Zur Hausen da Alemanha “por descobrir que o Vírus do Papiloma (Verruga) Humano (HPV) é a causa do câncer do colo uterino” e para Françoise Barré-Sinoussi e Luc Montagnier “por descobrir o Vírus da Imunodeficiência Humana”

O Prêmio Nobel de Medicina deste ano não deveria surpreender a ninguém que compreenda a inversão em que se encontra a sociedade atual, onde tudo está de pés para o ar.

De qualquer modo, esta é uma notícia que esperávamos por 25 anos, e que golpeia fortemente o estabelecimento científico dos Estados Unidos, uma vez que Roberto Gallo, ex-diretor do Laboratório de Virologia do Instituto Nacional do Câncer do Governo dos EUA, não foi incluído nesse prêmio. É como se a Academia de Ciências de Estocolmo, ao não incluir o pesquisador norte-americano (que por anos figurou como o co-descobridor do “HIV”) reconhecesse finalmente que Gallo simplesmente roubou a informação ao grupo francês, como é de conhecimento público.

Indubitavelmente, este prêmio incrementará os negócios das companhias farmacêuticas transnacionais, que disseminarão ainda mais a vacinação em massa entre as crianças do sexo feminino e as mulheres jovens (e de todas as idades), com a muito tóxica e inútil “vacina contra o câncer do colo do útero”. Além disso, se prescreverão muitos mais anti-retrovirais para destruir um vírus que não existe, o HIV, e que portanto ninguém descobriu.

De outro lado, o Prêmio Nobel de Medicina deste ano servirá, ademais, para continuar o genocídio da SIDA, agora com o beneplácito da Academia de Ciências Sueca. Já são 25 milhões de mortes (causadas pelos “remédios” contra AIDS) ; até onde permitiremos que cheguem?

Esta não é a primeira vez que se passa algo assim. Vejamos alguns outros prêmios Nobel de Medicina “absurdos”, para qualificá-los de alguma maneira:

Sem embargo, isto não só ocorre com os Prêmios Nobel de Medicina. Um Prêmio Nobel de física, por exemplo, fui dado a Albert Einstein "por descobrir que a energia sempre vem da matéria (E= MV2)" Ignorando que o vacum tem energia, chamada pelo grande físico iugoslavo Nicola Tesla "energia escalar" e pelo meu professor no Brasil Dr. Norberto Keppe "energia essencial"

O Prêmio Nobel pra Luc Montagnier e Françoise Barré Sinoussi, não modifica em nada minhas descobertas e pontos de vista sobre a AIDS. Ao contrario, hoje mais que nunca, temos a obrigação de convidar as pessoas a estudar meus argumentos científicos de que a AIDS é uma doença tóxica e nutricional e não viral nem contagiosa como se nos ha intentado fazer acreditar. Na minha página do Internet, e noutras de outros pesquisadores dissidentes da AIDS pode se ver nossos argumentos:

www.robertogiraldo.com
www.laverdaddelsida.com
www.monarcasmexico.org
www.rethinkingaids.com

Precisaqmos estudar ademais as recentes entrevistas a varios dos integrantes do Comité dos Prêmios Nobel de Medicina, os quais ter afirmado ao jornal “El País” de Espanha, que uma das razoes para otorgar este ano ese prêmio foi precisamente para tentar “derrotar a ideia que circula no mundo de que o HIV não é a causa da AIDS” Isto demoestra noevamente que os Prêmios Nobel, nada tiem que ver com verdades científicas, são só arbitrariedades da política da sociedade contemporánea.

A AIDS continúa aumentando no mundo todo devido a que todas as políticas oficiaies de prevenção, tratamento e controle estão basaedas numa ideia errada: Que o HIV é acausa da AIDS. A ecuação errada que circula no mundo toso é:

HIV = AIDS = MORTE

A AIDS está unida a a longa lista das chamadas “doenças incuraveis” e só issa ideia icial, equivocada claro está, programa aos soropositivos e aous infermos de AIDS pela morte.

Vale a pena lembrar hoje que a AIDS é uma enfermidade perfeitamente curável e prevenível, sempre que a pessoa implicada o deseje sinceramente. Como em qualquer outra enfermidade orgânica, deve começar por aceitar ver sua própria psicopatologia como nos ensina Dr. Keppe em seu livro “”A Origem das Enfermidades Psíquicas,Orgânicas e Sociais” (www.trilogiaanalitica.org).

É interessante saber que os países com as prevalências mais baixas de SIDA no mundo, são precisamente aqueles que estão sendo reportados por algumas investigações, como os países mais felizes do planeta: Brasil, Colômbia, México. Já os países e grupos de pessoas con maior prevalência de SIDA, são aqueles mais depressivos, tristes, com insatisfação permanente e instintos autodestrutivos, ainda que estes sejam inconscientes. Portanto, la vacina contra a SIDA está na alegría, na felicidade, no trabalho com amor para nosso bem e o de nossos semelhantes.

O fato de que a SIDA se apresenta em todas as classes sociais é um indicativo e uma chamada de alerta: a espécie humana está em perigo. A SIDA da África o confirma. A pobreza com todas suas conseqüências não é un assunto estático: nunca antes a África havia sido tão pobre nem seus habitantes vivian en una tristeza tão profunda como agora. Há lugares da África onde a esperança de vida há diminuído de 60 a 35 anos. Temos pois a obrigação de levantar-nos com valor para defender a África de tanto opróbrio; do contrário, seria o primeiro continente onde desapareceria a espécie humana.

Devemos pois celebrar o Prêmio Nobel de Medicina de 2008 para Luc Montagnier e Françoise Barré Sinuossi, posto que este se une à larga lista de prêmios Nobel que ajudam a que as pessoas percebam a corrupção que rodeia à Instituição dos Prêmios Nobel igual às demais instituicões desta sociedade decadente.

Nossa presença “dissidente” na sociedad atual, é vista desde já e será apreciada pelas futuras geraçõess, como uma luz que rodeia a obscuridade reinante no estabelecimento científico do século XXI. O momento exige que continuemos trabalhando e lutando para defender os seres humanos e nosso planeta dos descalabros dos poderosos.

Roberto Giraldo, M.D.

Departamento de Medicina Psicossomástica Integral
Sociedade Internacional de Trilogia Analitica
São Paulo, Brasil

robertogiraldo@trilogiaanalitica.org
RobGiraldo@aol.com
www.robertogiraldo.com

  Principal     Correio     English